Agents of SHIELD | Quais os reais impactos de Vingadores: Guerra Infinita na série da Marvel

Há cinco temporadas no ar, Agents of SHIELD pode voltar não apenas a se conectar de forma explícita ao que acontece nos filmes do Universo Cinematográfico da Marvel, mas influenciá-lo significativamente – e o motivo disso é a conclusão de Vingadores: Guerra Infinita. Situada no mesmo universo que os longas da super-equipe de heróis, a série foi se afastando com o tempo do que acontecia no cinema, criando narrativas independentes e usando apenas referências pontuais para lembrar o espectador que a equipe do agente Coulson (Clark Gregg) habitava a mesma realidade que o Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), o Capitão América (Chris Evans), Thor (Chris Hemsworth) e os demais justiceiros famosos.

Dessa vez, porém, o cinema foi bem longe em relação à suas escolhas criativas e seria impossível isso não ser sentido em todos os subprodutos que dividem o mesmo universo dos filmes. Isso porque o terceiro longa dos Vingadores termina com o vilão Thanos destruindo metade da vida na galáxia – na cena pós-crédito, inclusive, foi possível ver Maria Hill (Cobie Smulders) e Nick Fury (Samuel L. Jackson) se desintegrando. Ambos já estiveram na série: a dupla participou do piloto e Hill ainda voltou a aparecer na segunda temporada, no episódio “The Dirty Half Dozen”.

Logo, é óbvio que a série de TV terá que abordar o que aconteceu no filme – aliás, já está fazendo isso. Em “Option Two,” episódio da sexta temporada exibido em 27 de abril, Tony Caine (Jake Busey) chegou a fazer uma referência ao filme durante um encontro com Daisy (Chloe Bennet), quando comentou brevemente sobre “todas as coisas estranhas que estavam acontecendo em Nova York”. É possível, é claro, que isso não aconteça ainda no quinto ano, que termina já em 18 de março ou que, pelo menos, só vá ser efetivamente sentido pelos personagens no episódio final da temporada.

Para justificar o motivo disso, é preciso entender em que intervalo de tempo todos os eventos de Vingadores: Guerra Infinita estão compreendidos. Quando toda a trama do filme começa, está de dia em Nova York, onde Hulk (Mark Ruffalo) aparece no Sanctum Sanctorum, e de noite em Edimburgo, onde a Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen) está com Visão (Paul Bettany). Já quando o filme se conclui, está de dia novamente tanto em Nova York, visto a cena de Maria Hill e Nick Fury, quanto em Wakanda, na África Ocidental, onde acontece a batalha final. Portanto, é possível presumir que todos os eventos do filme acontecem em um período superior a 24 horas, possivelmente até 48, visto ainda que transcorre tempo suficiente para que notícias como o sumiço do Homem de Ferro se tornem globais. Em “Option Two”, já é noite quando Caine fala sobre o que está acontecendo em Nova York – portanto, é possível entender que os eventos atuais da série estão acontecendo em algum lugar localizado no meio do caminho do filme.

Isso dá algumas opções para o time da SHIELD: entre as mais prováveis estão concluir a trama da temporada antes ainda da desintegração vista no fim de Vingadores, sem precisar lidar com o sumiço de nenhum de seus agentes, ou então situar o season finale exatamente no momento da cena pós-crédito do filme, mostrando os efeitos do genocídio de 50% da vida na galáxia na equipe – qualquer ação que blinde o grupo da ação de Thanos seria extremamente forçado. Mas, além de especulações, há algumas declarações de atores, produtores e roteiristas que podem dar algumas pistas sobre o que está por vir tanto no cinema quanto na TV em relação à essa simbiose de eventos.

Antes mesmo de Vingadores: Guerra Infinita estrear, Christopher MarkusStephen McFeely, roteiristas do filme, falaram sobre a série de TV precisar lidar com os eventos, até então desconhecidos, que encerrariam o longa. Na ocasião, em entrevista ao ScreenRant, a dupla disse que “o invejavam a Marvel TV” em precisar lidar com o “efeito cascata” que seria gerado com o fim do filme. Em contrapartida, o showrunner Jed Whedon disse estar empolgado com as possibilidades abertas. “Os filmes abrem caminhos”, disse durante em um painel no WonderCon. “Doutor Estranho nos apresentou a magia, o que nos deu Motorista Fantasma; quando os Guardiões da Galáxia chegaram, fomos apresentados ao espaço. Estamos esperando que o filme seja lançado para que possamos abrir um novo espaço para nós”.

Recentemente, o ator Adrian Pasdar, que interpreta Talbot, também confirmou que a série sentirá os impactos de Thanos em entrevista ao TVLine. “Nós teremos acontecimentos que servem de pano de fundo e se relacionam com o que acontece em Vingadores: Guerra Infinita. Eles sempre usam isso. Eles sempre amarram muito bem com o que se passa nos filmes“. A declaração, ainda que genérica, alimenta a esperança de a série voltar a se conectar com os filmes de forma mais sólida, ao invés das referências distantes que se tornaram usuais nas temporadas mais recentes.

Agente Coulson de volta ao cinema

Com o sumiço de Maria Hill e de Nick Fury, aliás, pode ser a hora do agente Coulson voltar à telona e com um papel determinante. Antes de assumir a liderança da série derivada, o personagem esteve em Homem de FerroHomem de Ferro 2Thor e Os Vingadores – onde os heróis acreditaram que ele havia sido morto por Loki (Tom Hiddleston), quando, na verdade, passou a liderar a equipe secreta vista em Agents of SHIELD. O principal motivo para acreditar que os heróis do cinema ficarão sabendo que Coulson está vivo é a confirmação de que Clark Gregg reprisará seu papel no filme da Capitã Marvel, que, ao que tudo indica, será fundamental para Vingadores 4.

O próprio Gregg chegou a brincar sobre o retorno em entrevista ao ComicBook. “Foi uma ligação divertida dos meus amigos no universo cinematográfico. Eles falaram: ‘você sabe, achamos que temos um novo trabalho para você, mas isso acontece no anos 1990. Você pode ir para a academia?’. Eu disse: ‘anos 1990? Não há academia que possa me levar de volta aos anos 1990’. E eles disseram: ‘bem, não se preocupe. Temos trabalhado nessa tecnologia e achamos que podemos voltar alguns anos’“, contou. O ator despistou, é claro, um possível retorno ao MCU em um filme atual. “Eu não sei. Eu só vou onde eles me dizem para ir”.

Contudo, há algo que ele certamente sabe: o que acontecerá nos momentos finais da quinta temporada de Agents of SHIELD. “Houve alguns momentos muito sombrios na série e, desde o momento em que Joss [Whedon] me apresentou o programa há cinco anos, ficou claro que Coulson não teria voltado à vida sem gerar repercussões e algumas delas estão finalmente chegando. Então, é uma história divertida de contar e o final da temporada será muito comovente. Vamos ver o que acontece a partir daqui“, disse o ator ao ComicBook. Ao que tudo indica, seja pelos reflexos da interferência de Thanos ou pela escalação de Gregg para o filme estrelado por Brie Larson em 2019, a série parece estar perto de voltar a se cruzar com os filmes como acontecia nas primeiras temporadas – para alegria dos fãs.

Vingadores: Guerra Infinita já está em cartaz nos cinemas e Vingadores 4 está marcado para 2 de maio de 2019. Agents of SHIELD é transmitida pelo canal pago Sony.

Sou o melhor no que faço, mas oq eu faço é uma merda!

Raphael Mineto

Sou o melhor no que faço, mas oq eu faço é uma merda!

%d blogueiros gostam disto: