Crash Bandicoot | Um clássico de todas as épocas

Um jogo que nunca perde seu brilho.

Essa é a maneira que vejo Crash Bandicoot. Um jogo que desde criança pegava pra jogar e finalizar, e fazia isso em horas pois já conhecia cada canto dele. Um jogo que me confortava sempre que estava mal. Uma revisitada à minha infância.

Em uma época em que os jogos de plataforma brilhavam, Crash brilhou muito entre os gigantes da época Mario e Sonic. Se tornou o mascote da Sony logo no primeiro jogo. Com muita influência de Donkey Kong, surgiu Crash Bandicoot em 1996.

Resultado de imagem para crash bandicoot ps1
OLHA A CARINHA DELE DE QUEM VAI FAZER MERDA

O game era muito bom, tinha algumas falhas de gameplay, que foram corrigidas posteriormente, porém, isso não tirava ofuscava o jogo que vendeu muito bem para a época. Onde o nosso marsupial fazia a clássica jornada do herói junto da sua máscara protetora, o Aku Aku. Após o maléfico Dr. Neo Cortex com seu fiel parceiro Dr. Nitrous Brio tentar fazer com que Crash virasse um super-vilão como já havia feito com Coala, Dragões de Komodo, Ratos, etc, mas ao tentar invadir a mente de Crash, a máquina vê que ele é burro demais (como mostrado na animação que iria ser a abertura do game) que acaba causando erro e libertando ele.

Só que sua namorada (que sumiu desde então e só veio reaparecer no remaster de 2017) Tawna, uma Bandicoot também, inspirada na Jennifer Lopes. Crash segue pelas ilhas derrotando os chefes Papu Papu, Ripper Roo, Koala Kong, Pinistripe, Nitrous Brio e por fim o Dr. Neo Cortex. Que obviamente é derrotado e cai do alto de seu zepelim em uma das ilhas.

Sua sequência, Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back, veio um ano depois e trouxe muitas melhorias gráficas e de gameplay, fazendo com que o jogo se tornasse maior ainda. Para mim, ele divide espaço com seu sucessor.

Imagem relacionada

A diversidade de fases era muito maior, o que trazia para o jogador um senso de exploração muito maior também. Neste game foi introduzido vários personagens novos, como a Coco Bandicoot (irmã mais nova de Crash), Polar (um ursinho polar), Tiny Tiger, Komodo Bros,  Dr. Nitrous Gin (mais um comparsa do Dr. Neo Cortex). Nesse game, após Cortex cair na ilha, ele acha uma fonte muito poderosa de energia, os Cristais. O que foi achado foi o Cristal mestre, porém, o Cristal mestre só funciona com mais 25 cristais escravos. Dr. Cortex “sequestra” Crash para pegar esses cristais que estão espalhados pela ilha com auxílio de teletransportes com a desculpa que essa energia seria para salvar o mundo.

CRYSTALS, OFF COURSE… DOH!!!

E é ai que o jogo começa. Neste jogo somos apresentados ao sistema de Warp rooms, que são salões com 5 fases cada e um chefe após recolher os 5 cristais desse salão. Se você tiver um final com menos de 100%, você tem o final ruim, onde Cortex foge com o cristal mestre em mãos e fim. Agora se você finalizar o jogo com 102% você ganha o final verdadeiro, onde Dr. Nitrous Brio justa todas as gemas, que você ganha quando coleta todas as caixas dentro de uma fase, e usa de combustível para o Evolvo Ray (uma maquina com um raio laser que ele construiu) para explodir a nave/zepelim de Cortex.

Um ano depois veio o terceiro game, Crash Bandicoot 3: Warped, com uma leve melhoria gráfica, mas compensado na variedade de fases e mecânicas novas.

Resultado de imagem para crash bandicoot 3 ps1

A história se passa logo após o final verdadeiro do segundo game, onde um fragmento da nave de Cortex cai na terra bem em cima da prisão de uma máscara, a prisão de Uka Uka. Irmão gêmeo de Aku Aku, que mesmo sendo gêmeo, um seguiu o caminho da proteção e outro da destruição. Uka uka então conversa com Cortex e da ordens de recuperar mais cristais, porém, não existia mais cristais na ilha. Após uma discussão, a máscara perdoa Cortex porque indiretamente foi liberado por ele, então não o mata, mas contrata mais um vilão, o Dr. Nepharius Tropy. Um viajante do tempo que controla portais de viagem para várias épocas como Arábia, construção da muralha da china, pré-história e até futuro.

Imagem relacionada

Aku aku então guia Crash e Coco pelos portais de tempo para coletar os cristais mais uma vez. Temos vários personagens novos nesse game, Coco como personagem jogável, Pura (o tigrinho), Rex (o dinossauro que você usa de montaria), Dingodile, Fake Crash (como Easter Egg) e os minions do Cortex.

Em 1999, um ano depois, é lançado Crash Team Racing. O jogo que veio definir jogos de Kart para mim. Jogo em que é apresentado o vilão Nitrous Oxide.
Resultado de imagem para crash team racing

Um alien que chega na Terra para uma competição, usando as corridas como forma de poder. O game trás vários personagens icônicos de volta, e alguns nem tão icônicos como o Penta Penguin (Pinguim que aparece no começo do chefe Dingodile no Crash 3: Warped), Fake Crash, Ami, Isabella, Liz e Megumi (Essas 4 meninas não sendo personagens jogáveis, são apenas as meninas que comemoram com você no podium e te entrega o troféu).

Resultado de imagem para crash team racing ps1

O jogo conta com 18 fases de corrida normal, 4 para coletar cristais e fases para batalha contra amigos. Contando com três modos de jogo. A campanha normal, onde você deve coletar troféus, chaves para passar de mundo, moedas, gemas, relíquias… MUITA COISA MESMO. O modo Split-screen onde dava muita briga com os amiguinhos. E o modo batalha, onde você e seus amigos ficam num “ringue” com vários poderes, e o que perder todas as vidas primeiro, perde.

E foi ai, meus amigos, que a franquia saiu da mão da Naughty Dog.

Primeira desenvolvedora após a Naughty Dog foi a Eurocom, que criou o Crash Bash em 2000. Um jogo estilo party. Era até divertido, mas não conseguiu atrair muita gente.

Em 2001, a Traveller’s Tales assumiu o Crash que tentou trazer de volta as origens. O jogo tinha uma história interessante. Dr. Cortex conseguiu um Bandicoot pra família de monstros dele, o Crunch Bandicoot. Forte, grande e assustador, sendo controlado pelo Dr. Apareciam mais máscaras, as Elementais: Fogo, Ar, Terra e Água (Rok-Ko, Wa-Wa, Py-Ro e Lo-Lo).

Resultado de imagem para crash bandicoot wrath of cortex masks

E foi a primeira vez que a Coco Bandicoot apareceu jogável em fases de plataforma. E é por aqui que as coisas boas do game acabam. Jogo muito fraco, física muito errada, gráficos que poderiam ser melhores. Tinha potencial, mas parece que faltou tempo e dinheiro.

Em 2002, a Vicarious Visions lançou Crash Bandicoot: The Huge Adventure. Nada inovador, mas uma adaptação interessante aos consoles portáteis. Trazia algumas fases inspiradas no Crash 2 e 3. Exclusivo de Gameboy Advanced.

Em 2003, ainda com a VV, foi lançado Crash Nitro Kart. Seguia a mesma fórmula do Crash Team Racing, com uma mecânica nova de dirigir pelas paredes e pelo teto. Foi interessante, mas não chegou nem perto do sucesso do CTR.

Ainda em 2003, foi lançado mais um game para o Gameboy Advanced, Crash Bandicoot 2: N-Traced. O game em si não é muito inovador de seu anteressor de GBA, mas trazia um vilão totalmente novo, o Nefarious Trance, uma criação do Dr. N. Tropy. Um hipnotizador da quinta dimensão que se parece com um ovo.

Em 2004, ainda para Gameboy Advanced, foi lançado Crash Bandicoot Purple: Ripto’s Rampage. Primeiro e único crossover entre Crash e Spyro. Outro game interessante mas nada inovador, tirando o fato do crossover.

Ainda em 2004, temos um breve respiro de Crash nessa pilha de jogos sem sal. Traveller’s Tales nos apresenta Crash Twinsanity.

Resultado de imagem para crash twinsanity

Que, apesar de ser uma continuação direta de Wrath of Cortex, é uma releitura total na franquia. Jogo se torna mundo aberto onde cada área do mapa possui 6 gemas coloridas para coletar. A história do jogo se foca em dois “aliens” que vieram da 10ª dimensão atrás de Cortex. Nesse jogo temos a aparição de todos personagens que já apareceram na série, a maioria como apenas aparição mesmo. Porém foram introduzidos vários novos como Nina Cortex (sobrinha do Dr. Neo Cortex), Madame Amberly (A professora de Dr. Neo Cortex), Morsa Rusty (o cozinheiro que trabalha no navio de guerra de N. Gin), Mecha Bandicoot (uma versão robô gigante de Crash), Tikimon (Totem gigante como chefe) e os ‘Evil Twins’ (Victor e Moritz que são supostos aliens, vilões principais). O jogo começa com você na N. Sanity Beach, mostrando a Coco caçando borboletas, onde Cortex a sequestra para se passar por ela afim de atrair Crash para uma armadilha.

Imagem relacionada
Cortex ficou lindo nessa roupinha

Crash então cai em uma armadilha onde todos os vilões da série até então estão reunidos para uma suposta festa de aniversário. Lá está Dr. Cortex controlando o Mecha Bandicoot afim de derrotar o nosso marsupial, que logicamente é facilmente derrotado. Então os dois caem dentro da caverna infestada de “aliens” e é onde os Evil Twins são apresentados. Crash e Cortex viajam por toda ilha em sua história.

Um jogo muito carismático, cheio de piadas e momentos engraçados como quando Cortex briga com pinguins porque seu cheque foi devolvido e culpa a devolução por conta das baixas vendas do seu antecessor, ou quando você pede ajuda a um fazendeiro e ele fala que só vai te ajudar se você limpar o canteiro dele. Cortex então saca sua arma e dá um tiro nele falando que isso não é um jogo.

Imagem relacionada
FISH?!?!?!?

Uma das cenas mais icônicas se passa quando Cortex está apoiado na janela pensando em uma forma de descer o morro, Crash vai lá, chuta sua bunda e começa a surfar nas costas dele. Incrível.  A história é gigantesca e conta mais sobre o passado de Cortex e todas as cagadas que ele fez no decorrer de sua vida. A música foi feita pela banda de acappella Spiralmouth, o que significa que nenhum instrumento musical foi usado, toda a música do jogo foi feita usando a voz humana.

Em 2005 temos Crash Tag Team Racing em 2005 pela ‘Era Radical Entertainment’. Jogo de corrida onde você poderia controlar, na corrida, o carro ou a arma acoplada, ou passear pelo mundo aberto do game procurando por dinheiro para comprar peças de carro. Uma proposta interessante, mas cada vez mais longe dos originais.

Em 2007 temos uma reformulada completa na franquia de Crash, chegando em Crash of the Titans. Todos os personagens foram alterados quanto a arte e dublagens, gameplay, formula de jogo.

Imagem relacionada

O que parecia apenas um jogo que seria mais interessante se não tivesse com o nome de Crash, afinal, de Crash mesmo só tinham os nomes. A história foi reiniciada, então Dr. Cortex estava com um plano de dominar o mundo criando animais gigantes e poderosos com sua máquina, como no primeiro game. Porém agora foram criadas hordas e hordas e personagens genéricos. Crash pode controlar esses animais se deixar eles tontos e colocar o Aku Aku (sua máscara) na face dos mesmos.

Em 2009, seguindo a mesma formula, temos Crash: Mind Over Mutant. Continuava a história de seu antecessor com um mapa aberto.

Ficamos 16 anos sem nada de Crash a vista. Nem esperança. Nenhum rumor. Nada. Até que na E3 de 2015, o CEO da Playstation Shawn Layden, na sua apresentação, estava vestindo uma camiseta do Crash Bandicoot.

Imagem relacionada
Gostaria de uma também, to aceitando de presente

Fato esse que colocou a famosa ‘Pulga atrás da orelha’ de todos os fãs. Expeculação, “vazamento de informações” de lá e de cá, até que um ano depois, na E3 de 2016, FINALMENTE tivemos o anúncio de Crash Bandicoot N. Sane Trilogy. Então tivemos que esperar mais um ano para o lançamento oficial em 30 de junho de 2017. UM ANO ESPERANDO. Eu, pelo menos, comi até meus dedos de ansiedade. Eeeeee… FINALMENTE CHEGOU O TÃO AGUARDADO DIA.

Em Junho de 2017 foi lançado Crash Bandicoot N. Sane Trilogy. Um remake/remaster da trilogia original de Crash (Crash Bandicoot, Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back e Crash Bandicoot 3: Warped).

Resultado de imagem para crash n sane

Que satisfação estar vivo para poder apreciar esse game. Uma volta total a infância e todas aquelas horas gastas na frente daquela enorme TV de tubo. Além de todas melhorias gráficas que tornaram o remake lindíssimo, o jogo é basicamente tudo que a franquia aprendeu no longo dos jogos e aplicando as mecânicas para todos os 3. Como no primeiro, a facilidade de salvar o game, poder repetir o bônus, contagem de caixas no menu, etc. A possibilidade de fazer time trial em todos os três games com Leaderboard mundial foi um atrativo maravilhoso no início, porque hoje tudo que temos são temos impossíveis de serem alcançados.

Resultado de imagem para N SANE COCO
OLHA QUE COISINHA MAIS FOFA

A possibilidade de jogar com a Coco Bandicoot em todos os três games (exceto em chefes). As músicas refeitas usando a original como base sem perder a essência dos antigos. Sane Trilogy foi uma repaginação na trilogia, uma homenagem eu diria. Uma aula de remaster que deveria ser seguida por várias empresas.

Hoje temos vários rumores como novos jogos do Crash em 2019-2022 e remaster de Spyro. Será que veremos mais um crossover do dragão favorito com o marsupial favoritos nas gerações atuais?

Só resta esperar que não caia no limbo de jogos meia-boca novamente.

Leia mais sobre games aqui.

23 anos, publiciotário, gamer desde os 4 anos de idade e consumidor voraz de cultura pop. Youtube e Netflix são minhas TVs.

Miguel Moreira

23 anos, publiciotário, gamer desde os 4 anos de idade e consumidor voraz de cultura pop. Youtube e Netflix são minhas TVs.

%d blogueiros gostam disto: